Cursos

Conheça melhor nossos cursos !
27/03/2016

A China no caminho de uma classificação

FacebookTwitterGoogle+LinkedInEmail

CHINA (Yinchuan) – Nos últimos anos, Ningxia – uma região autônoma do povado Hui, no noroeste da República Popular – se tornou uma das principais regiões vinícolas da China. Os vinhos produzidos ali ganham importância e tem como prova de sua qualidade um série de medalhas ganhas no Prêmio World Wine Decanter em 2015. Recentemente, as autoridades de Ningxia anunciaram planos para criação de um primeiro sistema de classificação, analógico ao sistema dos Châteaux de Bordeaux. Ningxia pretende implementar um sistema de avaliação de qualidade para as vinícolas locais.

As primeiras notícias da criação de uma classificação legal dos vinhos de Ningxia já estavam circulando em 2013 na cena do vinho. Naquela época, esta notícia gerou um acalorado debate no comércio internacional de vinho. A principal crítica foi de que era cedo demais e muito ambicioso estabelecer um sistema deste tipo para uma região vinícola tão jovem. Por outro lado, as autoridades de Ningxia afirmavam: “quanto mais cedo, melhor.”

“A indústria do vinho em Ningxia está em um estágio inicial de desenvolvimento. Instaurar um sistema de classificação tão sofisticado pode não mostrar muita credibilidade,” dizia Li Demei, responsável do departamento governamental do vinho na China, à mídia chinesa. Por outro lado os responsáveis de Ningxia, argumentavam: “O novo sistema de classificação legal une um padrão internacional com a realidade na região vinícola de Ningxia.”

E, de fato, as regras em Ningxia para a “Classificação no estilo Bordeaux” já foram definidas. Foram apontadas as principais variedades de uvas permitidas para o cultivo (ao menos 90 por cento de cada vinhedo tem de ser idênticos). Foi determinado o rendimento máximo da vinha (de 500 a um máximo de 800 kg por mu ” (antiga medida chinesa) – isto significa: de sete para um máximo de onze toneladas por hectare ou de 54 a um máximo de 85 hectolitros por hectare. Foi definido que a cada dois anos uma comissão composta por enólogos, críticos de vinho, especialistas em comércio de vinho deverá verificar a conformidade com os regulamentos e confirmar a classificação podendo rebaixar ou valorizar uma vinícola. O status obtido pela calssificação poderá então ser exibido nos rótulos. Uma vez alcançado a melhor categoria, o status de Premier Cru, a vinícola permanecerá nele durante dez anos, quando será novamente avaliada pela comissão.

Caso esta ambiciosa classificação seja aprovada, certamente diversas outras regiões vinícolas chinesas emergentes tomarão Ningxia com modelo para o futuro da vitivinicultura.

Por enquanto consumidores, críticos, produtores e comerciantes internacionais acompanham com atenção este desenvolvimento.

 

Leia mais em:

O vinho como um negócio da China – http://oglobo.globo.com/economia/negocios/o-vinho-como-um-negocio-da-china-17993397

Duas regiões top na China: Penglai vs. Ningxia – http://www.lepanmedia.com/ningxia-vs-penglai-the-battle-to-become-chinas-top-fine-wine-region/

Noticias Personal Sommelier

FacebookTwitterGoogle+LinkedInEmail