Cursos

Conheça melhor nossos cursos !
04/03/2015

Tin tin! Por que brindamos?

FacebookTwitterGoogle+LinkedInEmail

Por que brindar? Não existe uma única resposta, precisa e inquestionável, para esclarecer a origem do hábito de brindar.

Alguns povos europeus acreditavam que tilintar as taças afastava os maus espíritos, assim como o badalo dos sinos das igrejas. De uma maneira ou de outra, a história conta que vários povos faziam barulho enquanto bebiam, batendo seus copos na mesa, ou badalando sinos, com a finalidade de proteger-se contra o mal. Seria essa a história?

Outra lenda remete à confiança estabelecida entre os homens. Numa época em que o envenenamento era uma forma comum de eliminar um inimigo, era sempre um risco aceitar a oferta de bebida. Para assegurar-se de que não estava sendo envenenado, o convidado virava um pouco de sua bebida no copo do anfitrião, e os dois bebiam simultaneamente seus copos. Quando o convidado confiava no anfitrião, em vez de fazer isso, eles somente encostavam seus copos, sem verter a bebida.

Uma variante desta história diz que o brinde vigoroso fazia com que as bebidas dos dois copos jorrassem e se misturassem, assegurando, dessa forma, que o anfitrião beberia o mesmo conteúdo do convidado, e que esse não seria, portanto, envenenado.

A mitologia grega também trata de dar sua explicação. Dionísio, deus grego do vinho, deu uma festa no Monte Olimpo, e convidou os sentidos humanos. Todos os convidados, os sentidos, estavam felizes, desfrutando os prazeres do vinho. A visão estava enaltecida pela cor da bebida, o olfato encantado com o bouquet, e assim por diante. Exceto a Audição, que não desfrutava nenhum prazer. Para agradar seu convidado, Dionísio propôs que batessem seus copos uns contra os outros, tilintando o que viria a ser “a música daqueles que gostam de vinho”!

O fato é que gostamos de brindar! Apesar de algumas regras de etiqueta considerarem mais apropriado que simplesmente levantemos nossos copos… gostamos, sim, de brindar! Esse é um ritual repetido por milhões de pessoas, todos os dias, pelos mais diversos motivos.

Mas mesmo não existindo maneira certa e errada de brindar, ninguém quer sair por aí quebrando taças, ou espalhando vinho pelo chão, certo? Então, em seu próximo brinde, atenção a essa dica: em vez de brindar “borda com borda”, que é a parte mais frágil da taça, brinde “bojo com bojo”. Dessa forma, ainda vai se surpreender com o som! Um brinde!

Agradecimentos: tintos e tantos

FacebookTwitterGoogle+LinkedInEmail